A Hipótese de Futuro

Há quem diga que o mais difícil é a execução, como foi dito por Silvio Meira numa reportagem que foi publicada na Época Negócios. Ela pode parecer genial, é verdade, mas talvez ninguém use, ou pior, e mais provável, é que ninguém pague por isso. E que fique claro: no cash, no business.

Particularmente, tem outro desafio que acredito ser bem importante de superar, que é o de encontrar a direção certa para você seguir com o seu negócio. Caso você siga o caminho errado, as consequências podem ser desastrosas e por isso é bom ter cuidado com o que eu chamo de custo de direção. Costumo dizer que esse custo é composto de três pilares: tempo, dinheiro e motivação. Se você seguir a direção errada, o custo de direção é impecável e qualquer uma das três variáveis pode derrubar o seu negócio, na verdade, apenas uma delas é suficiente para isso acontecer.

A primeira pode fazer você perder o time­-to-­market, a segunda pode fazer sua empresa ir a falência, e a terceira poderá tirar sua motivação para seguir em frente. Resultado: mission failed. Você pode ter uma ideia genial e executar com excelência, mas será que isso garante o sucesso?

“Certamente não há nada mais inútil do que fazer com grande eficiência aquilo que nem deveria ter sido feito.” – Peter Drucker

Então, o que fazer para que o seu negócio siga a direção correta? Como minimizar as chances de fracassar? Primeiramente é importante saber que é literalmente impossível prever exatamente como as pessoas e o mercado irão reagir ao seu negócio, pois, se assim fosse, 48% das empresas não fechariam a porta após 3 anos. Pensar no futuro do negócio, é pensar numa hipótese de futuro que é envolto por incertezas, sendo assim, o incerto precisa ser tratado como tal. Uma forma de eliminar tais incertezas é experimentar o seu negócio em todos os níveis (modelo de negócio, serviços, produtos…) para aprender e co­criar valor junto às pessoas e ao mercado (que também é regido por pessoas). Aos poucos, as incertezas darão lugar a insights sensacionais (frutos da experimentação, erros e acertos) que permitirão você começar a moldar o seu negócio como um protótipo, que será testado a todo momento até você conseguir entregar valor às pessoas e ter uma receita sustentável.

Em outras palavras, é impossível definir a direção com antecedência, é preciso construi-­la diariamente até encontra-­la. Se ainda tem dúvidas, basta lembrar que Thomas Edison errou/aprendeu 10.000 vezes até desenvolver a lâmpada correta, mas ele tinha a confiança criativa para experimentar na prática as suas ideias e o seu negócio. Foi esta cultura de colocar a mão na massa e testar milhares de opções, sem medo de errar, que permitiu que ele criasse algo realmente inovador e que até hoje está presente em nossas vidas.

“Mude, mas comece devagar, pois a direção é mais importante do que a velocidade.” – Clarice Lispector

Portanto, agora é a sua vez de começar a experimentar, errar, aprender e colocar o seu negócio na direção certa. Eu já comecei a semana com um experimento: minha primeira postagem em um blog.


Post escrito por mais de um colunista, um parceiro convidado, ou um artigo enviado por um de nossos leitores. Para colaborar conosco, ou sugerir alguma pauta, basta enviar um e-mail para contato@mz.rec.br.

RELATED POST

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

INSTAGRAM
ACOMPANHE NOSSAS NOVIDADES