Carnavalia

O Carnavalia, desenvolvido por Eudes Belmiro e Vladimir Barros para o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação, surgiu como trabalho de conclusão da pós-graduação da Cesar School. Lançado pelo SJCC em fevereiro de 2018, fazendo grande sucesso, também foi premiado no 8º Torneio Regional de Inteligência Computacional (TRIC) do mesmo ano, na Argentina. O projeto concorreu na categoria Jogos Digitais, ficando em terceiro lugar, sendo o único produto mais mercadológico, enquanto os demais projetos voltavam mais para o cunho social.

Tive a oportunidade de realizar algumas perguntas com os donos do projeto para conhecer um pouco mais do processo de criação e os desafios que eles encontraram em todo o seu desenvolvimento. Dá uma olhada abaixo.

Como surgiu o projeto?
Surgiu inicialmente como projeto de conclusão da pós-graduação do CESAR School, porém teve uma conotação maior após o alinhamento com o Sistema Jornal do Commercio para torná-lo mais amplo na questão de visibilidade. 


Em parceria com Eudes Belmiro, programador do projeto, criamos uma ferramenta de interação com o usuário a partir da Live Action do Facebook. Através do sistema de reactions, conseguimos criar uma comunicação entre o projeto com seus personagens e o público que acompanhou a campanha.

Como foi desenvolver um projeto tão complexo e com um espaço de tempo tão pequeno?
Um desafio enorme mas que foi encarado com bastante afinco. Antes do Carnavalia, trabalhamos em outras Live Actions que nos deram subsídio para desenvolver este de forma mais complexa porém, bem objetiva para o usuário.

Em parceria com Eudes Belmiro, programador do projeto, criamos uma ferramenta de interação com o usuário a partir da Live Action do Facebook. Através do sistema de reactions, conseguimos criar uma comunicação entre o projeto com seus personagens e o público que acompanhou a campanha.

Como foi desenvolver um projeto tão complexo e com um espaço de tempo tão pequeno?
Um desafio enorme mas que foi encarado com bastante afinco. Antes do Carnavalia, trabalhamos em outras Live Actions que nos deram subsídio para desenvolver este de forma mais complexa porém, bem objetiva para o usuário. 

Nele conta processos de Ilustração, animação, motion, game design e UX, o que o tornou bem completo do ponto de vista visual. Outras questões de estratégia digital foram abordadas para um melhor aproveitamento do mesmo no facebook, mas também trabalhadas com o visual diferenciado. 

Quantas pessoas participaram do projeto e quais áreas que atuaram?
Cinco pessoas participaram ativamente do processo visual do Carnavalia:
Coordenação e Ilustração – Vladimir Barros
Programação – Eudes Belmiro
Game Design – Eudes Belmiro/Vladimir Barros
Motion – Eduardo Mafra, Claudio Coutinho, Catarina Alves, Vladimir Barros

Conta um pouco sobre o processo criativo por trás dos personagens.
Os personagens tem influência direta na cultura pop dos anos 80/90. Eram os personagens que consumia durante a infância e adolescência, como Robocop, os Jetson, Transformers e outros. A empatia causada pelos personagens que compunham o Carnavalia, tem uma relação direta com a empatia que eles causaram nos reais consumidores do facebook hoje em dia.

Portanto, foi analisado entre outras questões, a faixa etária das pessoas que utilizam as redes do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação, principalmente as que participaram das Live Actions animadas anteriormente.

Quem conhece o carnavalia vê que algo do tipo não tinha sido feito ainda por aqui no Brasil, quão complexo foi alinhar todo o projeto com  os diferentes tipos de mídias?
Na realidade o processo do Carnavalia é simples do ponto de vista de como jogar, utilizando a simples ferramenta do Facebook. O que o tornou complexo foi o entendimento das relações usuário-personagem. Entender algumas reações e feedbacks foram o ponto crucial para o sucesso do projeto. As mídias apenas convergiram para tornar o game massificado, através de publicidade, na maioria das vezes orgânica, visto o grande número de pessoas que seguem as páginas do SJCC.

Essa estratégia foi traçada para que as pessoas se sentissem realmente representadas por algum ícone do carnaval, daí entra a inspiração com a pegada da empatia que os personagens criam, levando os usuários a relembrarem inconscientemente da infância, onde geralmente o mundo lúdico é mais palpável.


Co-fundador e Editor de Conteúdo - Formado em Design Gráfico.

RELATED POST

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

INSTAGRAM
ACOMPANHE NOSSAS NOVIDADES